Navigate / search

A árvore da vida

Filme pretensioso que gostaria muito de promover uma reflexão holística sobre nossa existência. Aborda-se religião, relação com os pais e irmãos, além, obviamente, do sentido da vida. Uma tentativa frustrada de promover uma discussão por um viés Freudiano, porém é chato pra cacete. Fuja com todas as suas forças.

Machete

Uma divertida homenagem aos filmes B de ação que tanto inundaram o extinto Domingo Maior. Imagina misturar o que há de mais heroico em Chuck Norris, Riki Oh, Kill Bill e Leonidas (filme 300). Esse é o protagonista de Machete. Muitos atores conhecidos fazem parte desse grande deboche: Robert de Niro, Jessica Alba, Steven Seagal, Lindsey Lohan. Vale a pena ver e rir muito. É sangue, exagero e mulher gostosa para tudo que é lado. Machete é, de fato, um mocinho do cassete.

Esposa de mentirinha

Sabe quando, antes mesmo de começar a assisitir, já pensa que o filme vai ser uma porcaria. Pois é, fui ver esse já com o preconceito instalado. Adam Sandler, sabe como é, né, bem Sessão da Tarde. Quebrei a cara. Até que é bem bacana. A história é previsível? Sim, mas não é isso que vale. Tudo gira em torno de um quarentão traumatizado com um noiva de tempos atrás que tem dificuldade de se relacionar seriamente com uma manceba. Mas eis que aí ele se encontra com um chuchuzinho que faz com que ele queira subir no altar novamente. Chega, né. No longa, há uma sucessão de cenas inusitadas e hilárias, muitas beirando o afamado bullying dos dias atuais. Sem contar que a parte romântica mela-cueca dura pouco. Ou seja, a maior fatia do filme se concentra mesmo na comédia. Se você encarar sem maiores pretensões vai se divertir muito.

Meia-noite em Paris

Woody Allen vai se reinventando com o tempo. Nesse filme fabuloso, que tem como cenário Paris, mistura elementos de Cinderela para produzir uma história incrível de um americano que tem contato com célebres escritores e artistas da década de 20. Para quem não viu ainda, fique atento à passagem em que aparece o detetive. O desfecho é impagável. Filme bom é outra coisa.

Carros 2

Há 5 anos, assisti o primeiro filme da série e fiquei muito impressionado. Como admirador de automobilismo me identifiquei na hora. Esperei ansiosamente essa continuação. Aliás, nem sei dizer se é uma sequência. O filme (sabidamente) rompe com a proposta do primeiro de se fundar apenas nas corridas. Nessa obra, Relâmpago McQueen vira coadjuvante e quem assume o papel de protagonista é o sonsolete e amineirado Mate. Grande parte dos risos vem dele. A trama é mais bem costurada nessa versão, com tramas paralelas e exige mais do público. Ou seja, a solução não é entregue de mão beijada e nem é previsível. Triste mesmo é para as crianças até 8 anos que não entendem nada, uma vez que o filme versa sobre espionagem, trairagem, sustentabilidade e combustíveis alternativos. Só para ter uma idéia, na fileira à minha frente, com apenas 45 minutos de exibição, umas 10 crianças levantaram e foram embora. Melhor para mim, menos algazarra para entender o filme dublado. Mas, no final das contas, Carros 2, surpreende e é bom. Muito bom mesmo.

X-men: primeira classe

Admito que não sou tão aficcionado assim na série X-men. Na verdade, assiti porque era uma das poucas opções do cinema. Para piorar, comprei de vacilo a versão dublada. Pois é, tudo conspirava para mais um filmeco. Mas não é que esse X-men é show de bola? Pô, bacana mesmo. Eu que sou meio vacilão na série, entendi bastante sobre a origem, de como se deu as rivalidades, do propósito de cada personagem. Deu até vontade de ver os demais para ficar antenado. Só não entendi qualé daquela mutante que veio do filme Avatar.

Se beber não case – parte 2

Você gostou do primeiro Se Beber Não Case? Se gostou, talvez valha repetir a experiência. Se não curtiu, fuja. A fórmula é exatamente a mesma do filme anterior. A diferença é que esse tem um toque a mais de escrotice. Dá pra rir? Claro, e muito. Mas, não espere nada de inovador. Aliás, a impressão que se tem que até o roteiro é o mesmo. Assim como o primeiro, esse peca pelo final. A solução veio meio do nada e enfraquece um pouco toda a trama. Enfim tire suas conclusões se vale a pena ou não assistir.